Razer Seirēn Elite – Análise

Há já vários anos que temos assistido a um crescimento exponencial das plataformas de streaming de videojogos e do próprio YouTube, com muitos a procurarem novas formas de partilhar as suas sessões de jogo e habilidades com um público com gostos semelhantes.

Claro está que, com o avançar dos tempos, os setups de streaming foram evoluindo, e há muito que os microfones dos headsets foram substituídos por opções bem mais profissionais, capazes de oferecer maior valor de produção a um público cada vez mais ávido por consumir conteúdos por si escolhidos. Apesar do mercado oferecer opções para todos os gostos, a estética streamer obriga, muitas vezes, ao desembolsar de um valor premium. A Razer dispõe já de um catálogo razoável de produtos desta gama, e a sua oferta mais recente é o Seiren Elite, um microfone de secretária USB que procura oferecer alta qualidade a um preço que não está acima dos principais concorrentes (€219.99 na loja oficial), algo que foge até um pouco ao que a marca nos habituou.

O Seiren Elite é caracterizado por um design minimalista em corpo cilíndrico, com apenas três botões na sua zona frontal, dedicados ao controlo de volume, gain e mute, com um anel que se ilumina a vermelho sempre que o volume atinge um pico, adição que se revela importante para percebermos quando fomos longe demais naquela reação a um evento de jogo. Os controladores de volume e gain são os únicos elementos deste periférico que podiam ter melhor qualidade, com o toque a transmitir uma sensação de “plástico barato” e a imperdoável ausência de marcadores visuais para sabermos a quantas andamos – a maior parte das vezes demos por nós a usar o volume no máximo e a tentar encontrar um equilíbrio no gain, uma vez que nunca é certo se estamos a meio ou três quartos da capacidade total. O seu suporte metálico é extremamente robusto, facilmente ajustável para que a cápsula possa ficar apontada à boca do utilizador, e uma base com material esponjoso para minimizar os efeitos de vibrações indesejadas. Por dentro, o Seiren Elite recorre a uma cápsula dinâmica com padrão cardióide, capaz de gravar a 16 bits, algo que pode ser insuficiente para os que procuram entregar um som 24 bits.

A ligação ao PC é feita através de um cabo UBS de elevada qualidade e com cerca de 3 metros de comprimento, pormenor que facilita a montagem do Seiren Elite num braço para microfone em vez do suporte incluído, e que será, certamente, a escolha da maior parte dos interessados. No fundo do corpo do microfone está, para além da entrada micro-USB (por esta altura USB-C devia já ser o padrão), um botão para ativar o filtro high-pass, que ajuda a bloquear ruídos de baixa frequência, como um ar condicionado ou as ventoínhas do PC. Está ainda incluído um jack 3.5mm para headphones, que permite uma funcionalidade essencial – a capacidade de monitorizar a nossa transmissão de som com latência zero. Na caixa é ainda incluído um windscreen de esponja, para possibilitar não só gravações em situações de vento mas também para evitar aqueles ‘pops‘ característicos e que tanto incomodam especialmente os que usam auriculares.

A qualidade de gravação do Seiren Elite é elevadíssima, com um tom vincadamente grave, a assinatura de som a que a Razer já nos habituou. A única coisa que podemos apontar é mesmo a existência de um barulho de fundo mínimo mas constante, que pode ser mais ou menos desagradável consoante a quantidade de gain aplicada. Este microfone recorre a um DSP (Processamento Digital de Som) que limita os ruídos dinâmicos de forma a evitar a distorção, mas é algo que não chama demasiado a atenção nem corrompe o output de som desejado. No entanto, se a tua preferência é um sinal mais puro, sem compressão ou limites aos ruídos dinâmicos, esta não será a melhor opção para ti. O som obtido através do Seiren Elite é extremamente nítido, quer estejas a usar o filtro high-pass ou não. Em condições semelhantes, a grande diferença está nos sons agudos mais ricos, onde a ativação do DSP e do filtro parece remover alguns dos agudos. Apesar dos artifícios colocados à disposição do utilizador, o som deste microfone aproxima-se muito mais da qualidade de estúdio do que boa parte das opções concorrentes, sendo até uma boa opção para a gravação de intrumentos musicais, mesmo que não seja o mais indicado ou profissional para esse efeito.

 

Prós:

  • Sinal nítido com DSP subtil
  • Inclusão de filtro high-pass
  • Monitorização de som sem latência

Contras:

  • Ruído mínimo de fundo