Razer Raiju Ultimate – Análise

O Razer Raiju Ultimate é a proposta da marca para o jogador mais exigente, que preferia não ter de abdicar de um controlo personalizado para cada tipo de videojogo, recusando conformar-se ao padrão instituído fundamentalmente pelas fabricantes de consolas. No entanto, é também mais do que isso, representando uma resposta para a PlayStation ao aclamado Xbox One Elite Controller. Mas será o suficiente para levar os jogadores a trocar o seu DualShock 4?

Logo que abrimos a caixa e retiramos o comando da sua excelente bolsa de transporte, aquilo que mais salta à vista é a sua robustez e qualidade de construção. É inegável que a Razer teve em consideração todos os aspetos do design, apresentando um produto com elevadíssima qualidade e uma atenção ao detalhe que será difícil de encontrar noutros periféricos que se propõem ao mesmo desígnio. Mais ainda, estamos perante o primeiro comando third-party licenciado pela Sony para a PlayStation 4, marcando o início da aventura da marca das três cobras pelo mundo das consolas. Mesmo sendo licenciado para a PS4, é possível usar o Raiju Ultimate no PC, via USB ou Bluetooth, sendo possível selecionar o modo de utilização através de um switch colocado na traseira do gamepad. Depois, basta emparelhar o dispositivo (algo que é apenas feito uma vez) e terás apenas de ativar o botão para trocar de plataforma. Como não podia deixar de ser, esta versão do Raiju inclui iluminação RGB Razer Chroma, que rodeia o touchpad e pode ser controlado através de uma aplicação para smartphone ou de um botão soft-touch no próprio comando, que serve para acomodar diferentes perfis de iluminação. Ao lado desse botão temos outros multi-funções que possibilitam a transição entre diferentes configurações de botões, diferentes sensibilidades e o bloqueio dos botões Home/Opções/Share (para não interferirem nas sessões de jogo de forma acidental).

 

 

No entanto, a característica mais marcante do Razer Raiju Ultimate é qualidade dos seus botões, especialmente os gatilhos, com switches mecânicos analógicos, com um grau de ativação elevado. A sensação tátil é muito satisfatória e parecem mais fáceis de pressionar até ao fim do que os gatilhos dos comandos tradicionais. Temos ainda dois botões shoulder adicionais perto dos L1/R1, assim como dois paddles na parte traseira inferior do comando – estes “extras” podem ser configurados através da aplicação mobile. Os quatro botões de face do Raiju Ultimate incluem switches mecânicos (apelidados pela marca de Mecha-Tactile Action Buttons), consideravelmente mais responsivos dos que os do DualShock 4, com excelente feedback tátil, algo que não tem preço especialmente em jogos de luta. O D-pad não apresenta grandes melhorias em relação aos demais comandos, sendo possível trocá-lo por um four-way rocker, ajustando-se a todos os estilos de jogo. É ainda possível substituir os analógicos para maior conforto, ou até mesmo usar analógicos mais altos para maior agilidade de movimentos. Com tudo isto, o Razer Raiju Ultimate transforma-se numa excelente opção para eSports ou qualquer forma de jogo competitivo, onde ter o comando “perfeito” para o nosso estilo de jogo pode fazer toda a diferença.

Outro aspeto digno de destaque é a adoção de uma estética limpa e sem o tradicional look gamer, algo que a marca tem procurado entregar nos últimos anos, destacando-se da concorrência e abraçando um público bem mais abrangente, que exige qualidade mas não quer algo que sobressaia demasiado. Os elementos que podem ser trocados ficam bem seguros, sendo até capazes de aguentar alguns choques mais violentos (como quedas) sem sair do sítio. A primeira versão do firmware do Raiju Ultimate revelava alguns problemas de latência quando usado em modo Bluetooth, mas a Razer resolveu a questão com uma atualização, sendo difícil agora discernir qualquer atraso entre o input e a ação in-game. Porém, a atualização de firmware não pode ser feita através da aplicação, sendo necessária uma ligação a um PC para colocar o comando na sua melhor forma, algo que nos parece um pouco injustificado. Outro pormenor a ter em consideração é a ausência de giroscópio, que impossibilita a execução de determinadas tarefas em certos jogos.

Em suma, o Raiju Ultimate cumpre exatamente os seus propósitos, sendo uma alternativa muito viável ao DualShock 4 (mesmo com um tamanho superior, porém confortável), oferecendo, em simultâneo, as características premium do Xbox One Elite Controller. Todas as funcionalidades adicionais carregam um preço elevado (€199.99 na loja oficial da marca), mas aquilo que oferece acaba por justificar o investimento.

 

 

Prós:

  • Possibilidade de trocar D-pad e Analógicos
  • Switches Mecânicos
  • Excelente Qualidade de Construção
  • Conetividade sem Fios

Contras:

  • Ausência de Giroscópio